leile_pinto@hotmail.com

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

SEMINÁRIOS DE LANÇAMENTO ESTADUAL DO PRÊMIO ODM BRASIL MOSTRAM RIQUEZAS CULTURAIS REGIONAIS







Apresentações de canto coral e de danças típicas marcaram os seminários de lançamento da 4ª edição do Prêmio ODM Brasil em São Paulo, Natal (RN) e Campo Grande (MS). Em São Paulo, o coral da Thyssen Krupp Bilstein Brasil abriu o seminário cantando músicas que fazem referência aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Criado em 2004 pelos trabalhadores da empresa e pelo presidente Alexandre Bamberg de Noronha, o coral gravou em 2006 um repertório relacionado aos ODM como forma de divulgar os oito jeitos de mudar o mundo.


Em Natal, o seminário contou com a apresentação de xaxado por alunos de escolas públicas do estado que integram o grupo de dança da Fundação Cultural de Parnamirim. Já em Campo Grande, os destaques culturais foram a apresentação de dança da Casa de Cultura Dona Zica e a realização de uma feira de artesanato.

São Paulo
O seminário de São Paulo, no dia 14 de setembro, foi organizado pelo movimento Nós Podemos São Paulo, apoiado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT), e contou com a participação de 350 lideranças governamentais, empresariais e da sociedade civil. Na ocasião, o secretário de Estado da Casa Civil do governo paulista, Sidney Beraldo, afirmou o compromisso do estado com os Objetivos do Milênio, ressaltando que eles serão incorporados ao Plano Plurianual e que o governo acompanhará de perto o desempenho dos ODM em São Paulo. Para isso, será criado um grupo de trabalho específico para avaliar os resultados de cada Objetivo no estado. Já o secretário-executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República, Rogério Sottili, ressaltou que o Brasil não poderia atingir os ODM apenas com a atuação do governo. Segundo ele, o envolvimento das prefeituras, organizações e movimentos da sociedade é fundamental para que o país alcance essa conquista.

Representando o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) e a presidenta Dilma Rousseff, Rogério Sottili destacou que os ODMs representam um esforço coletivo em prol da equidade e da justiça social, que têm sido uma busca constante do governo federal, conforme demonstram diversas iniciativas, incluindo o Programa Brasil Sem Miséria, criado com o objetivo de tirar 16 milhões de brasileiros da situação de extrema pobreza até 2014.

"É impossível atingirmos os ODM apenas com a atuação do governo. A participação das prefeituras, Estados, das organizações sociais e movimentos da sociedade é fundamental para isso. A transformação que todos nós queremos vai além das mudanças de nossas estruturas. Trabalhar com as metas do milênio significa mover o mundo em torno da redução das desigualdades sociais e criação de oportunidades para todos", pontuou o Sottili.

O secretário nacional de Estudos e Pesquisas Político-Institucionais, da Secretaria-Geral, Wagner Caetano, destacou que a presença de lideranças no evento demonstraram o grau de comprometimento do estado, da prefeitura e dos movimentos sociais com as Metas do Milênio. O seminário de São Paulo contou também com a presença do presidente da Câmara Municipal, José Police Neto; do representante do PNUD no Brasil, Arnaud Peral; da coordenadora do Movimento " Nós Podemos" de SP, Regina Fonseca; da secretária de Desenvolvimento, Trabalho e Inclusão da Prefeitura de Osasco, Sandra Inez Faé; e de representantes das principais Centrais Sindicais, entre outros.

Rio Grande do Norte
Na capital potiguar o evento, realizado no dia 15 de setembro, reuniu mais de 200 lideranças, incluindo autoridades locais e mais de 50 gestores federais, além de diversos prefeitos. O presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte, (Femurn) e prefeito de Lages, Benes Leocádio, comemorou a reunião de tantas lideranças na busca de um bem comum: "Feliz o estado que tem mais de 200 pessoas preocupadas com o bem do outro, preocupadas em melhorar o Brasil e o mundo", ressaltou.

Mato Grosso do Sul
O seminário realizado em Campo Grande, também no dia 15 de setembro, contou com a presença de mais de 140 lideranças e foi palco da adesão de oito municípios aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que anunciaram as primeiras medidas para a implantação de seus Núcleos Municipais em curto prazo.

Os seminários, que estão sendo realizados em todos os estados, têm por objetivo debater a importância das Metas do Milênio com as organizações sociais e governos locais, e o Prêmio é uma estratégia utilizada para que o Brasil cumpra as oito metas para melhorar o mundo até 2015, conforme estabeleceu a ONU no ano 2000.

O Prêmio foi criado em 2004 a fim de estimular e reconhecer publicamente projetos exemplares de organizações sociais e de prefeituras implementados em prol dos ODM. Podem ser inscritos projetos que atendam a um ou mais Objetivos. São eles: Erradicar a extrema pobreza e a fome; Educação básica de qualidade para todos; Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres; Reduzir a mortalidade infantil; Melhorar a saúde das gestantes; Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças; Garantir sustentabilidade ambiental e Estabelecer parcerias para o desenvolvimento.

As práticas inscritas são avaliadas e selecionadas por técnicos e especialistas nos ODM do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e da Escola Nacional de Administração Pública (Enap). As melhores iniciativas serão premiadas, desde que atendam a alguns critérios, entre eles: contribuição para os ODM; impacto no público atendido, participação da comunidade, existência de parcerias, potencial de replicabilidade e articulação com outras políticas públicas. O Prêmio é coordenado pela Secretaria-Geral da Presidência da República, em parceria com o PNUD e com o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade. A coordenação técnica é de responsabilidade do Ipea e da Enap. As inscrições devem ser feitas pelo site www.odmbrasil.org.br até o dia 31 de outubro.

(fonte: Secretaria-geral da Presidência da República/ foto: Coral ThyssenKrupp Bilstein Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário