leile_pinto@hotmail.com

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

EDUCAÇÃO VEJA AQUI

Estudantes do ensino médio e da educação superior, mestres e doutores têm, este ano, o desafio de pesquisar sobre segurança alimentar e nutricional e concorrer a prêmios em dinheiro e bolsas de estudos na 28ª edição do Prêmio Jovem Cientista. As inscrições podem ser feitas até 19 de dezembro.
Produção sustentável, conservação, abastecimento, soluções para a desnutrição e a obesidade e organismos geneticamente modificados são possibilidades de abordagem, conforme o regulamento. Instituído em 1981, o Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Para orientar os estudantes, o regulamento do prêmio definiu 11 linhas de pesquisa para as categorias mestre, doutor e estudante da educação superior. Para o ensino médio, são cinco subtemas. Pelo regulamento, as pesquisas devem ter aplicação prática na solução de problemas concretos de uma localidade ou região, ou do país.
Para efeito de premiação, cada categoria terá três trabalhos reconhecidos. Na de mestre e doutor, com direito também a bolsas de estudos, o primeiro colocado receberá R$ 35 mil; o segundo, R$ 25 mil; o terceiro, R$ 18 mil. Na de estudante da educação superior, além da oferta bolsas do programa Ciência sem Fronteiras, o primeiro colocado receberá R$ 18 mil; o segundo, R$ 15 mil; o terceiro, R$ 12 mil. Para o ensino médio, os três primeiros colocados receberão computadores portáteis MacBook Pro, de 13 polegadas, e bolsas de iniciação científica. Professores orientadores de estudos e pesquisas e escolas também serão reconhecidos com prêmios especiais.
As linhas de pesquisa e os procedimentos para a inscrição estão descritos na página do Prêmio Jovem Cientista na internet.
Ionice Lorenzoni

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

TUDO SOBRE EDUCAÇÃO...

O ministro da Educação, Henrique Paim, disse nesta quarta-feira, 10, que somente pela educação será possível promover mudanças no país e inverter a situação de desigualdade. Ao lado da ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, Paim participou da abertura do 1º Simpósio de Avaliação da Lei de Cotas. 

Os resultados qualitativos e quantitativos da aplicação da Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, estão em debate no simpósio, que se estenderá até a tarde de quinta-feira, 11, no Ministério da Educação, em Brasília.

O ministro destacou a política afirmativa na área educacional como uma necessidade para o país. “Pela educação é que podemos mudar este país e inverter essa situação de desigualdade”, disse. “A desigualdade educacional deve ser combatida.” Paim reconheceu que existe no país uma dívida educacional. “Não implica um atendimento diferenciado para quem tem o registro da desigualdade, mas garantir o acesso nas mesmas condições daqueles que não passam por esse processo.”

De acordo com o ministro, essa dívida precisa ser combatida com ações afirmativas. “O Plano Nacional de Educação estabelece metas de acesso à educação superior, de equidade e qualidade”, disse. “Essas metas são acompanhadas pela determinação, em lei, da destinação de 75% dos royalties do petróleo e 50% dos recursos do fundo social do pré-sal para a educação.”

Para a ministra Luiza Bairros, o simpósio representa uma oportunidade de avaliar o alcance da política afirmativa nas possibilidades de inclusão e democratização do acesso à educação superior no Brasil por estudante de escola pública, negros e indígenas. “Procuramos fazer das ações afirmativas um instrumento de política pública capaz de provocar as mudanças”, disse.

Reserva — A Lei de Cotas trata da reserva de vagas em universidades federais e em instituições federais de ensino técnico e profissionalizante. Ela estabelece que no mínimo 50% das vagas nessas instituições serão destinadas a estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio na rede pública, com implementação progressiva no prazo de quatro anos, 25% a cada ano. Determina ainda que no mínimo 50% das vagas do ensino médio técnico federal destinam-se a estudantes que cursaram integralmente o ensino fundamental na rede pública, também com implementação progressiva no prazo de quatro anos, 25% a cada ano. Por fim, as vagas reservadas serão preenchidas, por curso e turno, no mínimo na proporção de pretos, pardos e indígenas do último censo demográfico.

Assessoria de Comunicação Social
Palavras-chave: política afirmativa, igualdade racial, Lei de Cotas

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA

Em todo o território nacional, 46.902 escolas públicas com turmas do quinto ano do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio cumprem, até o próximo dia 15, uma agenda comum com foco na língua portuguesa. Está em pauta a seleção dos melhores poemas, memórias literárias, crônicas e artigos de opinião escritos por 5,1 milhões de alunos que participam da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, edição 2014. O tema em todos os gêneros literários é O lugar onde vivo.
A seleção das obras é realizada por uma equipe da escola e constitui a primeira de quatro etapas da olimpíada. Dados do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), entidade que coordena o concurso, mostram que o evento envolve 170 mil professores de língua portuguesa de 46.902 escolas das 27 unidades da Federação. Dos 5.565 municípios, 5.014 aderiram, o que representa 90,1% do total.
O portal da olimpíada registra que, em 12 estados, 100% dos municípios aderiram. No Nordeste – Bahia, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará; no Norte – Amazonas, Rondônia, Acre, Roraima, Amapá; no Sudeste – Rio de Janeiro e Espírito Santo, e no Centro-Oeste – o Distrito Federal.
Segundo a coordenadora da olimpíada, Sônia Madi, é a participação dos professores de língua portuguesa que determina a quantidade de alunos que vai se envolver com a criação de textos. “Os professores têm desejo de orientação e a olimpíada os ajuda no cotidiano da sala de aula.” Ela lembra que, nos anos ímpares, os educadores participam de formação e nos anos pares, do concurso.
Sônia Madi lembra ao diretor da escola que é importante criar a comissão julgadora, que tem as atribuições de ler, julgar e selecionar o melhor trabalho por categoria. O prazo é 15 de agosto. Os textos selecionados, que devem ser digitados em campo próprio no portal da olimpíada, seguem para a segunda fase, que é no âmbito do município; a terceira etapa é estadual e a quarta regional.
Estudantes do quinto e sexto ano do ensino fundamental escrevem poemas; sétimo e oitavo anos, memórias literárias; nono ano do ensino fundamental e primeiro do ensino médio, crônicas, e segundo e terceiro ano do ensino médio, artigo de opinião.
Gêneros – A fase regional da Olimpíada de Língua Portuguesa é um encontro entre melhores autores e seus professores por gêneros literários. Cada gênero terá 125 alunos, 125 professores e a equipe que vai trabalhar com eles. As reuniões por categoria serão realizadas em São Paulo, Recife, Porto Alegre e Campo Grande, no período de 28 de outubro a 20 de novembro. Nesses encontros são escolhidos os 20 textos finalistas, sendo cinco por categoria. A reunião nacional será de 24 a 28 de novembro.
A premiação será em 1º de dezembro, em Brasília. Os 20 estudantes e seus professores receberão os seguintes prêmios: medalha, um notebook e uma impressora. As escolas a que pertencem ganham 10 microcomputadores, uma impressora, um projetor multimídia, um telão para projeção e livros.
Trajetória – A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro teve origem no programa Escrevendo o Futuro, desenvolvido pela Fundação Itaú Social, de 2002 a 2006, em edições bianuais. Em 2008 tornou-se política pública de educação e passou a ser olimpíada, sob a coordenação do MEC, desenvolvida em parceria com o Cenpec e o Itaú Social. Desde o primeiro evento, em 2002, segundo o Cenpec, oito mil professores participaram de todas as edições.
Ionice Lorenzoni

Acesse o portal da Olimpíada de Língua Portuguesa

sábado, 26 de julho de 2014

veja, tudo sobre educação

A poesia foi o recurso adotado pela professora paulista Milene Pinheiro para enfrentar desafios de aprendizagem não superados pelos alunos da Unidade Municipal de Ensino João Ramalho, em Cubatão, São Paulo. Para ajudar os estudantes do quarto ano do ensino fundamental que faziam recuperação paralela, em razão de dificuldades relacionadas ao processo inicial de alfabetização, Milene optou pelo limerique, estilo de poesia difundida no Brasil pela escritora russa Tatiana Belinky [1919-2013].
Com o projeto Oficina de Limeriques, desenvolvido de março a junho de 2012, a professora reforçou o trabalho com os alunos da turma de recuperação e também da turma regular do segundo ano do ensino fundamental. Nesse período, os estudantes aprenderam a escrever poemas com cinco versos, com a mesma rima na primeira, segunda e quinta linhas e outra na terceira e na quarta.
As dificuldades na escrita não impediram os alunos de produzir os próprios poemas. “Eles foram aprendendo esse estilo de escrever, engraçado, rimado e, ao mesmo tempo, desafiador, por exigir controle das palavras de cada verso, com contagem de sílabas poéticas”, diz a professora. Como incentivo, ela inscreveu os alunos das duas turmas em um concurso regional de poesias. A escola concorreu com 12 alunos, oito deles da turma de recuperação paralela. “Embora nenhum deles tenha vencido, esse tipo de reconhecimento foi muito importante para a autoestima de todos”, diz Milene.
O projeto foi concluído com a realização de um sarau na escola. O evento teve leitura de poemas autorais e de escritores como o inglês Edward Lear [1812-1888] e a paulista Viviane Veiga Távora, idealizadora do Prêmio Tatiana Belinky de Limeriques.
Com o sucesso do projeto, Milene continuou a desenvolvê-lo. Este ano, com alunos do segundo ano. “Eles puderam se expressar através da escrita e leitura de poemas, além de observar algumas normas e fazer uso delas, como a identificação e seleção de rimas, perfeitas e imperfeitas.”
Pedagoga com pós-graduação em alfabetização e letramento, há 11 anos no magistério, Milene também é, em Cubatão, professora na Unidade Municipal de Ensino Estado do Espírito Santo.
Fátima Schenini

quarta-feira, 9 de julho de 2014

LEIA - ATLETAS NAS ESCOLAS

As 44,7 mil escolas públicas e particulares de educação básica que aderiram à segunda edição do programa Atleta na Escola, além de 4.285 municípios, 26 estados e o Distrito Federal, têm prazo até 19 de agosto para realizar as competições e selecionar os estudantes para a etapa nacional. As modalidades são arremesso de peso, judô, voleibol, corrida de velocidade, corrida de resistência e salto em distância. Participam do Atleta na Escola alunos de 12 a 17 anos. 

A fase nacional, denominada Jogos Escolares da Juventude, é promovida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Estudantes de 12 a 14 anos participarão da etapa nacional no período de 4 a 13 de setembro próximo, em Londrina (PR); os de 15 a 17 anos, de 6 a 15 de novembro, em João Pessoa (PB).

De acordo com o coordenador do programa, Renausto Amanajas, da Diretoria de Formação e Conteúdos Educacionais da Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação, a expectativa do MEC e do Ministério do Esporte, promotores do evento, era reunir 40 mil escolas este ano, mas o número foi superado e alcançou 44.713 unidades. Os recursos investidos pelo MEC, de R$ 65,6 milhões, provêm do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). 

Para desenvolver o Atleta na Escola, os ministérios firmaram parcerias com as confederações brasileiras de atletismo, de judô e de voleibol. A parceria, explica Amanajas, visa à orientação técnica do programa e à capacitação de professores e monitores que atuam nas modalidades esportivas. Segundo o coordenador, a proposta é capacitar 30 mil monitores e educadores do programa Mais Educação, usando a plataforma E-ProInfo.

Paraolímpico — Este ano, o programa Atleta na Escola contempla também o esporte paraolímpico, nas modalidades atletismo, bocha, goalball, judô, natação, tênis de mesa, tênis em cadeira de roda, voleibol sentado, futebol de 5 (para deficientes visuais) e futebol de 7 (para paralisados cerebrais). A data-limite de competição nos estados e Distrito Federal é 29 de setembro. A etapa nacional será realizada de 24 a 29 de novembro, em São Paulo.

As modalidades foram definidas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), na faixa de 12 a 17 anos, feminina e masculina. Segundo o coordenador do programa, o Atleta na Escola apoiará a fase estadual nas modalidades paraolímpicas.

Ionice Lorenzoni

sexta-feira, 20 de junho de 2014

A segunda etapa do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) oferecerá 12 milhões de vagas em 220 cursos técnicos e em 646 cursos de qualificação a partir de 2015. O lançamento do Pronatec 2.0 foi realizado nesta quarta-feira, 18, em cerimônia no Palácio do Planalto.

“Até o fim deste ano, serão oito milhões de jovens e de trabalhadores matriculados no Pronatec, um desempenho que nos incentiva a lançar a segunda etapa do programa”, afirmou a presidenta da República, Dilma Rousseff. Conforme Dilma, a segunda fase é a sequência lógica e o desdobramento natural do programa, que manterá a gratuidade e deverá atingir mais de quatro mil cidades no país.

Uma novidade é a regulamentação do chamado itinerário formativo, que permitirá o aproveitamento do conhecimento adquirido em um curso de formação profissional, para efeito de carga curricular, em um curso de nível superior. Assim, um estudante que fizer um curso de qualificação profissional de eletricista de rede de distribuição de energia elétrica, por exemplo, poderá aproveitar os créditos quando fizer o curso de técnico em eletrotécnica.

O ministro da Educação, Henrique Paim, afirmou que nesta etapa do Pronatec serão oferecidas mais opções de cursos direcionados à formação empreendedora. “Nós precisamos dar continuidade a esse processo, com novos desafios pela frente: expansão das matrículas e valorização da trajetória de formação profissional.”

O ministro destacou que o Pronatec trabalha com flexibilidade, porque aproveita a estrutura existente das instituições federais, estaduais e do sistema S, que foram desdobradas para atingir as diversas regiões do país. Paim ressaltou, ainda, que o Pronatec é um dos programas que mais promovem inclusão. “Dos matriculados, 60% são mulheres, 67% são jovens e 68% são negros”, disse.

Na cerimônia, foi anunciada também a inauguração de 46 campi de institutos federais de educação, ciência e tecnologia. Ao final deste ano serão 562 campi em funcionamento. O reitor do Instituto Federal do Piauí, Paulo Henrique Gomes de Lima, e o diretor-geral do campus desse instituto no município de Campo Maior, Washington Moura Barbosa, receberam da presidenta a placa inaugural do campus.

Criado em 2011, o Pronatec tem o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a educação profissional e tecnológica. Em todo o Brasil, o programa já ofereceu cursos profissionalizantes para 7,4 milhões de brasileiros.

Assessoria de Comunicação Social

Veja a apresentação do ministro sobre o Pronatec

sexta-feira, 13 de junho de 2014

COPA DO MUNDO 2014 NO BRASIL

Copa do Mundo começa nesta quinta com festa nas 12 cidades-sede

 
11/06/2014 - 22:00
Fan Fests espalhadas pelo país prometem receber milhares de torcedores brasileiros e estrangeiros com atrações musicais e com a transmissão de Brasil x Croácia.
 
A Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 começa nesta quinta-feira (12.06), às 17h, em São Paulo. Na Arena Corinthians, Brasil e Croácia protagonizam a primeira partida do Mundial. Mas o jogo da Seleção Brasileira vai movimentar as 12 cidades-sede de uma só vez. De Sul a Norte, brasileiros e estrangeiros poderão acompanhar o confronto nas Fan Fests da FIFA. Além do futebol, cada sede preparou uma festa única, com muita música e atrações culturais.
Confira um panorama geral de cada uma das 12 Fan Fests que receberão milhares de torcedores nesta quinta para o jogo Brasil x Croácia.

BELO HORIZONTE
A capital mineira oferece uma estrutura de 16,5 mil m² quadrados na ExpoMinas e tem capacidade para receber até 21 mil torcedores. O duelo entre brasileiros e croatas poderá ser acompanhado em um telão de 80 m², em alta definição. O local conta com 1,5 mil vagas de estacionamento, mas há 19 linhas de ônibus e uma estação de metrô que podem levar o torcedor ao local.
Nesta quinta-feira, o grande destaque da Fan Fest mineira é uma banda bastante conhecida na região: o Skank. O grupo de Minas Gerais se apresenta em um palco de 35x20 m e 14 m de altura. A entrada é gratuita e o local fica aberto das 11h às 22h.

Cuiabá


Foto: Helson França/Portal da Copa

Foto: Helson França/Portal da Copa#

 

 

Situado a pouco menos de 3 km da Arena Pantanal, o Parque de Exposições da Acrimat vai ser praticamente uma extensão do estádio em Cuiabá. A proximidade com o palco dos jogos deve atrair também os torcedores que forem à arena acompanhar as partidas da capital mato-grossense. A área de 40 mil m² tem capacidade para acomodar até 56 mil pessoas por dia. Na abertura do Mundial, os voluntários vão coordenar uma ação no local para formar um coração, em alusão ao fato de Cuiabá estar situada no coração da América do Sul.

 

Na parte cultural, o show do primeiro dia de festa em Cuiabá fica por conta da dupla João Neto e Frederico, além do DJ Elton Cotrin, Flor Ribeirinha, Nico e Lau, Pescuma, e Henrique e Claudinho. Ao longo do Mundial, também passarão pela Fan Fest bandas como Falamansa, Babado Novo, Fundo de Quintal, RPM e NX Zero.

Brasília

O TaguaParque, em Taguatinga, no Distrito Federal, será a casa da Fan Fest em Brasília. O amplo espaço pode receber até 70 mil pessoas por dia, sendo 50 mil na parte interna e outros 20 mil na parte externa, que conta com dois telões. O local abre em todos os dias em que houver jogos da Copa do Mundo e funciona sempre das 11h às 21h30, com exceção deste sábado (14.06), quando fechará somente à 0h, por conta da partida entre Inglaterra e Itália, em Manaus, que começa às 19h.

A aposta da capital federal para a abertura da Copa do Mundo é no ritmo sertanejo. Antes de Brasil e Croácia entrarem em campo, a dupla Henrique e Ruan se apresenta para os torcedores. Depois da partida, quem comanda o palco é o cantor Gusttavo Lima (foto).

Dentro da área cercada, 200 seguranças privados vão ajudar na orientação do público e na resolução de pequenos conflitos. Além disso, a 12ª Delegacia de Polícia, a cerca de 1 km do Taguaparque, receberá ocorrências e flagrantes relacionados à área, e contará com delegado, escrivão e agentes fluentes em idiomas estrangeiros.

Curitiba

 


Foto: Angelo Binder/Portal da Copa

Foto: Angelo Binder/Portal da Copa#

 

 

Palco de atrações internacionais como Paul McCartney, AC/DC, Bon Jovi e Iron Maiden, a Pedreira Paulo Leminski foi o local escolhido para a Fan Fest de Curitiba. Com 48 mil m² de área reservada para o evento, o local fica a apenas 6 km do centro da cidade e poderá ser acessado por meio do transporte público ou até mesmo de bicicletas. A capacidade máxima estimada para a Fan Fest paranaense é de 15 mil pessoas. Além dos jogos e shows, haverá também um espaço destinado especialmente às crianças.

 

No dia de Brasil x Croácia, a principal atração musical da Fan Fest de Curitiba será Dudu Nobre. A Pedreira Paulo Leminski também será uma fonte de informação para os turistas, que poderão conhecer a programação cultural da cidade, além de comprar produtos tradicionais do Brasil e da Copa do Mundo.



Fortaleza

Fotos: Laurence Griffiths/Getty Images
Fotos: Laurence Griffiths/Getty Images#


Antes mesmos da abertura da Copa do Mundo, a Fan Fest de Fortaleza, no Aterro de Iracema, deu início às festas no Brasil. No último dia 9 de junho, 35 mil pessoas lotaram o local para prestigiar o lançamento mundial das Fan Fests brasileiras. Munido de um telão de 130 m², o local espera repetir o sucesso da estreia ao longo do Mundial.
Famosa pelo forró e por seus humoristas, a capital cearense terá como principal atração em 12 de junho a banda paulista Sambô, que transforma famosas canções de rock com o ritmo brasileiro do samba. Também estão confirmados em Fortaleza artistas como Michel Teló, Asa de Águia e Biquini Cavadão.

 

Manaus

Foto: Agnaldo Oliveira Jr/Portal da Copa
Foto: Agnaldo Oliveira Jr/Portal da Copa#

Com um dos cartões postais da cidade como pano de fundo, a Fan Fest de Manaus poderá receber até 35 mil pessoas na estrutura montada no Complexo Turístico Parque Ponta Negra, à beira do Rio Negro. A área de 36 mil m² funcionará das 10h às 22h durante todo o Mundial. Além da Fan Fest, a prefeitura da cidade vai realizar exibições públicas dos jogos da Seleção Brasileira em avenidas de grande movimentação.
Dividindo as atenções com os jogadores brasileiros e croatas no dia da abertura da Copa do Mundo estarão o cantor Israel Novaes e a banda Canto da Mata. Ao longo do Mundial, passam por Manaus artistas como Zeca Baleiro, Olodum e Cheiro de Amor.

 

Natal

A área próxima ao Forte dos Reis Magos poderá receber até 20 mil pessoas simultaneamente durante a Copa do Mundo na Fan Fest de Natal. Além de palco e telão para que os torcedores assistam aos jogos do Mundial, o local contará com atendimento ambulatorial, banheiros, refeitório e monitoramento interno por câmeras.
O comando da festa após o jogo Brasil x Croácia fica por conta da cantora Marina Elali. Um dos destaques da Fan Fest no Rio Grande do Norte, no entanto, será a vasta presença de artistas locais. A previsão é de que 90% das apresentações sejam realizadas por bandas e músicos da região.
Foto: Alex Regis
Foto: Alex Regis#


 

Porto Alegre

Foto: Prefeitura de Porto Alegre
Foto: Prefeitura de Porto Alegre#


À margem do Rio Guaíba e próxima ao estádio Beira-Rio, a Fan Fest de Porto Alegre vai ocupar 22,3 mil m² do Anfiteatro Pôr do Sol. Com capacidade para até 20 mil pessoas e um telão de 80 m², o local receberá torcedores e turistas de várias partes do mundo para acompanhar às partidas do Mundial.
Na parte cultural, os gaúchos Kleiton & Kledir, famosa dupla do Rio Grande do Sul, será responsável por animar e esquentar o público. A programação em Porto Alegre ainda prevê apresentações de RPM, Papas da Língua, Chimarruts e Banda Eva.

 

Recife

A capital pernambucana terá um formato de Fan Fest diferente das outras cidades-sede brasileiras. Em Recife, a transmissão dos jogos será realizada no Cais da Alfândega, no Bairro do Recife. Como não haverá shows na Fan Fest em si, a prefeitura da cidade organizou exibições públicas em dias de jogos da Seleção Brasileira aproveitando o período de festas de São João.
Nesta quinta, o duelo entre Brasil e Croácia poderá ser assistido na Praça do Arsenal, no Pátio de São Pedro, no Sítio Trindade e no Parque Dona Lindu. Cada local contará com um telão de 3x4 m, além de apresentações musicais e de dança.

Rio de Janeiro

Foto: Joe Raedle/Getty Images
Foto: Joe Raedle/Getty Images#


A famosa praia de Copacabana voltará a receber uma Fan Fest nesta quinta-feira. Em 2010, o Rio de Janeiro foi a única cidade brasileira a contar com a festa oficial da FIFA no país. Quatro anos depois, torcedores brasileiros e estrangeiros poderão se reunir novamente em Copacabana para assistir aos jogos do Mundial. O local poderá receber até 20 mil pessoas por dia e terá um telão de 133 m² para transmitir as partidas.
Na área musical, a capital fluminense terá duas atrações principais no dia de Brasil x Croácia. Antes da partida de abertura da Copa do Mundo, o cantor Naldo comanda a festa. Depois do jogo, a banda Sorriso Maroto assume o palco.

 

Salvador

Agecom Salvador/Divulgação
 Agecom Salvador/Divulgação#


A Bahia vai reunir os fãs da música e do futebol em um dos pontos turísticos da cidade para a Fan Fest: o Farol da Barra. De 12 de junho a 13 de julho, quem estiver em Salvador poderá assistir aos jogos da Copa do Mundo em um telão de 70 m².
Além de curtir os lances de Brasil e Croácia na abertura do Mundial nesta quinta-feira, o torcedor que comparecer ao Farol da Barra para prestigiar a Fan Fest terá como atrações culturais o cantor Armandinho, além das bandas Bereguedê, Folia Mamulengo, Orquestra de Pandeiros, Ganhadeiras de Itapoã e Malê / Coreto Elétrico.

 

São Paulo

Sede da abertura da Copa do Mundo, a cidade de São Paulo terá uma boa alternativa para aqueles que não conseguiram um ingresso para o jogo entre Brasil e Croácia, na Arena Corinthians. A Fan Fest será realizada no Vale do Anhangabaú, no centro da cidade, e poderá receber até 35 mil pessoas. Além disso, haverá exibições públicas dos jogos em outros três locais: no Parque do Jacuí, região de São Miguel; na Praça do Samba, em Perus; e na Praça João Tadeu Priolli, no Campo Limpo.
Na Fan Fest, os torcedores poderão assistir ainda a dois shows nesta quinta-feira. A festa começa com a apresentação do cantor Luan Santana, antes de Brasil x Croácia. Após o apito final, Thiaguinho sobe ao palco para encerrar a festa da abertura.